Área atingida pelo fogo de Aljezur já está a ser alvo de trabalhos de estabilização de emergência

Área atingida pelo fogo de Aljezur já está a ser alvo de trabalhos de estabilização de emergência

Foi numa zona de encosta onde pinheiros mansos, acácias, eucaliptos e mato foram queimados pelas chamas, que ontem começou a intervenção das equipas mecanizadas do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e da brigada de Sapadores Florestais da Comunidade Intermunicipal do Algarve, a AMAL.

Os trabalhos de estabilização de emergência foram esta terça-feira de manhã visitados pelo ministro do Ambiente, que explicou que «este tipo de intervenção vai passar a ser norma em todos os incêndios em que a área ardida seja superior a 500 hectares».

Enquanto mostrava ao ministro os trabalhos em curso, Nuno Banza, presidente do ICNF, explicou que, nos dias logo após a extinção do incêndio de Aljezur, técnicos do seu instituto, bem como da Agência Portuguesa do Ambiente e do Gabinete Técnico Florestal Intermunicipal «percorreram a área ardida, para identificar os locais mais urgentes para intervenção».