Arménio Carlos acusa entidades patronais de bloquearem aumentos salariais

Hotel Quarto

Arménio Carlos acusa entidades patronais de bloquearem aumentos salariais

Esta quinta-feira realizou-se uma greve no Algarve, na área da hotelaria, convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Algarve (STIHTRSA) .

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, considerou que a greve dos trabalhadores da restauração e hotelaria “é um alerta às entidades patronais”, que acusa de estarem a bloquear as negociações laborais e a precarizar o trabalho.

Arménio Carlos falava ontem aos jornalistas durante uma concentração de cerca de 50 trabalhadores junto ao Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Algarve (STIHTRSA), em Faro. Segundo o sindicalista, no Algarve, há um “bloqueio das entidades patronais” em relação às negociações salariais, num setor que tem visto os “proveitos a aumentar” nos últimos anos.

A paralisação afetou vários estabelecimentos de hotelaria e de restauração da região, teve uma “adesão considerável”, segundo Tiago Machado, do Sindicato de Hotelaria Algarve.

 

Ana Marisa Vieira