Beja: Hospital investiga morte de homem na urgência

Beja: Hospital investiga morte de homem na urgência

O hospital de Beja revelou hoje ter aberto um inquérito para esclarecer as circunstâncias em que um homem morreu na sala de espera da urgência após mais de três horas à espera de ser atendido por um médico.

Contactado pela agência Lusa, após o caso ter sido divulgado hoje pelo jornal Correio da Manhã, o conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, que gere o hospital de Beja, lamenta a morte do homem e “informa que foi aberto”, no dia 05 deste mês, “um processo de inquérito para esclarecer a situação”.

Em declarações hoje à agência Lusa, Ana Teixeira, cunhada, contou que o homem morreu, no passado dia 31 de janeiro, “sentado numa cadeira de rodas à porta das urgências” do hospital de Beja depois de ter estado mais de três horas, “entre as 17:30 e as 21:00”, na sala de espera com uma “pulseira amarela” (caso considerado urgente) à espera de ser atendido por um médico.

Ana Teixeira contou que o cunhado, de 60 anos, tinha “um processo clínico um bocado complicado”, porque sofria de Hepatite C e Diabetes, havia feito análises “dois dias antes” de ter ido às urgências e iria iniciar tratamentos para a Hepatite C no dia 03 de fevereiro.

Depois de ter feito as análises, o homem, que pesava “40 e poucos quilos e já estava muito debilitado”, “começou a piorar e apareceram-lhe umas manchas nas pernas”, disse Ana Teixeira, referindo, que, por isso, o seu marido “achou melhor levá-lo ao hospital” onde deu entrada no dia 31 de janeiro.

Por volta das 21:00, “um enfermeiro, no meio da confusão, acabou por levantar-lhe a cara [à vítima], mas o meu marido diz que quando lhe levantaram a cara ele já estava morto. Levaram-na lá para dentro [da urgência] e passados dois ou três minutos vieram dizer que ele tinha falecido”, contou Ana Teixeira.

Segundo Ana Teixeira, ela e o marido fizeram uma reclamação por escrito no livro de reclamações do hospital de Beja.