Costa avisa que Portugal não pode perder o comboio dos fundos europeus

Costa avisa que Portugal não pode perder o comboio dos fundos europeus

O primeiro-ministro, António Costa, advertiu hoje que Portugal está perante “uma gigantesca responsabilidade” e “não pode perder tempo” com hesitações na execução dos fundos europeus nos próximos seis anos, tendo de conciliar “máxima transparência e mínimo de burocracia”.

Esta mensagem sobre o alcance estratégico do Plano de Recuperação e Resiliência foi deixada na sessão de abertura da “jornada de trabalho” do Grupo Parlamentar do PS, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

António Costa resolver mesmo dramatizar a situação atual dos pontos de vista económico e social: “Não podemos perder tempo, porque a crise está aí, são milhares de empresas que estão ameaçadas de poder fechar, são milhares de postos de trabalho que já foram perdidos ou que estão ameaçados e assiste-se a uma perda de rendimentos no conjunto a sociedade que pode vir a atingir as famílias”.

“Portanto, não podemos perder tempo. É fundamental que a União Europeia aprove definitivamente este plano, aprove definitivamente estes regulamentos, mas que o país tenha capacidade de o pôr rapidamente no terreno”, salientou o primeiro-ministro.