ERS acusa Centro Hospitalar Universitário do Algarve de “deficiências graves” com doente oncológico

Médico Saúde

ERS acusa Centro Hospitalar Universitário do Algarve de “deficiências graves” com doente oncológico

A Entidade Reguladora da Saúde concluiu que houve “deficiências graves na prestação de cuidados de saúde” a um paciente oncológico do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) que esperou demasiado tempo por exames. 

A conclusão do Conselho de Administração da Entidade Reguladora da Saúde refere-se ao caso de um utente em tratamento devido a um cancro no pulmão que esperou quase dois meses pelos resultados de um exame genético

O doente acabou por morrer em 27 de março deste ano sem fazer quimioterapia devido ao atraso de exames decisivos para definir o tratamento adequado. A ERS aponta ainda incongruências de datas nas explicações dadas pelo CHUA sobre o envio do pedido de análise ao IPO.