Faro acolhe campanha para salvar cavalo-marinho da extinção na ria Formosa

Faro acolhe campanha para salvar cavalo-marinho da extinção na ria Formosa

A preservação do cavalo-marinho, espécie ameaçada de extinção e característica da Ria Formosa, no Algarve, é o principal objetivo de uma campanha de sensibilização que se realiza em Faro, esta quinta-feira.

Organizada pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), pelo Parque Natural da Ria Formosa e pela Fundação Oceano Azul, a campanha denomina-se “A cavalgar para a extinção” e pretende “sensibilizar o público para a necessidade de proteger os cavalos-marinhos da ria Formosa”.

A Ria Formosa é uma zona húmida protegida que abrange vários concelhos do litoral do sotavento algarvio e é um dos principais habitats onde o cavalo-marinho está presente, tendo chegado a albergar “a maior comunidade do mundo destes animais”, destacaram os organizadores.

A mesma fonte precisou que essa comunidade era constituída por “populações das duas espécies de cavalos-marinhos” e havia “milhões de indivíduos” na Ria Formosa, mas advertiu que, “duas décadas após esta descoberta, desapareceram 90% dos cavalos-marinhos” que existiam nessa zona húmida protegida do Algarve.

A campanha realiza-se hoje junto ao Cais das Portas do Mar, na baixa de Faro, onde são apanhados barcos para as ilhas barreiras da Ria Formosa, zona protegida que se estende desde o concelho de Loulé, no extremo poente, até Cacela Velha, no concelho de Vila Real de Santo António, e atravessa também os municípios de Faro, Olhão e Tavira.