Faro prolonga suspensão da taxa turística

Faro prolonga suspensão da taxa turística

A Câmara de Faro vai prolongar a suspensão do pagamento da taxa turística até ao final de outubro, data para que estava previsto o fim da sua cobrança anual, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a autarquia adianta que, na prática, a medida, aprovada na segunda-feira, isenta as unidades do pagamento daquela taxa até março do próximo ano, já que a taxa turística só tem incidência entre 01 de março e 31 de outubro de cada ano.

“Proposta pelo presidente da Câmara, esta medida tem em atenção a situação excecional que ainda se vive, em particular no setor do turismo, a passar por severas dificuldades por via dos cancelamentos e da escassez de novas reservas de alojamento devido à pandemia da doença covid-19”, lê-se na nota.

A autarquia já tinha suspendido a aplicação da taxa no final de março, tal como os restantes concelhos algarvios que já a aplicavam ou estavam a preparar-se para iniciar a sua cobrança, no âmbito de uma decisão conjunta da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), que vigoraria até final de maio.

“Ainda assim, em face da previsão de redução do número de voos para o aeroporto provenientes dos principais países emissores de turismo, estimada entre os 50% e os 60%, bem como da constatação do aumento da taxa de desemprego na indústria turística regional, a autarquia deliberou tomar esta medida adicional”, prossegue a nota.

A taxa de 1,5 euros por pessoa e por noite foi aprovada em 2019 pelo município, depois de a AMAL ter deliberado a criação de uma taxa turística a ser implementada na região.

Cobrada apenas nos primeiros sete dias da estadia, a taxa destina-se a adaptar o território à maior procura turística, bem como à promoção do destino.

Com a cobrança da taxa turística, iniciada em Faro no dia 01 de março, mas suspensa no final do mesmo mês devido à pandemia de covid-19, a autarquia tinha a expectativa de arrecadar 500 mil euros em 2020.

A aplicação de uma taxa turística deliberada pela AMAL pode ser iniciada após aprovação pelas respetivas assembleias municipais, sendo que, na região, apenas o município de Silves anunciou que não iria aplicar a taxa.