Mais de 800 crianças vítimas de abuso sexual nos últimos três anos

Mais de 800 crianças vítimas de abuso sexual nos últimos três anos

A Associação de Apoio à Vítima (APAV) ajudou nos últimos três anos 881 crianças e jovens vítimas de violência sexual, o que dá uma média de 22 por mês.

Os dados da Rede Care, referentes ao período compreendido entre janeiro de 2016 e maio de 2019, mostram que as vítimas eram sobretudo raparigas (80,3%), com idades entre os oito e os 17 anos (66,51%), residentes maioritariamente nos distritos de Lisboa (303 casos) e do Porto (150).

A maior parte (54,1%) dos crimes aconteceu no seio da família próxima, começando pelo pai ou mãe (19,8%), padrasto ou madrasta (11,7%), avós (5,8%), tios (5,2%), irmãos (2,3%) ou ainda outros familiares (9,3%).

Nas situações em que os crimes foram cometidos por pessoas fora da rede familiar (39,9%), constatou-se que, ainda assim, em 12,1% dos casos o agressor era conhecido da criança, em 5,9% era colega ou amigo, em 4,2% era vizinho, em 1,8% das situações era funcionário escolar.

Quase dois terços dos crimes reportados diziam respeito a abuso sexual, ou seja, um ato sexual de relevo com uma criança até aos 14 anos, havendo também registo de violações (7,1%), importunação sexual (11,2%), atos sexuais com adolescentes (4,2%), recurso à prostituição de menores (0,7%) ou pornografia de menores (3,9%).

Em 78,5% dos casos foi feita denúncia às autoridades policiais ou aos tribunais.

Célia Reis