Novo serviço no Algarve leva um ‘barman’ a casa para preparar ‘cocktails’

Novo serviço no Algarve leva um ‘barman’ a casa para preparar ‘cocktails’

‘Cocktails’ preparados ao vivo por um ‘barman’ ao domicílio é o novo serviço que um bar em Faro está a promover este verão no Algarve, uma ideia que surgiu durante o confinamento provocado pela pandemia de covid-19.

O serviço, que pode também ser realizado a pedido de empresas, inclui o ‘barman’ e toda a logística associada à preparação das bebidas, com vários menus, incluindo ‘cocktails’ [bebidas] sem álcool para crianças, com gomas ou ‘marshmallows’, conta Miguel Gião à Lusa.

O projeto começou com “a ideia de manter o funcionamento do bar, os postos de trabalho e evitar ajuntamentos e festas ilegais”, referiu o diretor executivo do grupo EQEPEC (sigla para Eu Quero, Eu Posso, Eu Consigo), que está a promover o serviço.

“Conseguir levar este serviço aos clientes faz mais sentido do que fazer ‘take-away’ de bebidas”, nota, salientando que o ‘Barman at home’ é “um serviço chave na mão”, que inclui tudo: copos, gelo, bebidas e até copos personalizados para as crianças.

Além disso, dado o contexto atual, os três ‘barman’ disponíveis para fazer o serviço – entre os quais João Rodrigues, distinguido como o melhor ‘bartender’ português em 2016 – cumprem “todas a regras sanitárias exigidas”, garante o empresário.

Com 39 anos, Miguel Gião e o irmão, Ricardo, aventuraram-se desde cedo no mundo da hotelaria. Começaram em 2004 com o bar Columbus e desde então não pararam: hoje, gerem cinco estabelecimentos em Faro, o mais recente inaugurado em junho.

Para Miguel, o projeto faz todo o sentido “numa altura em que as pessoas querem evitar ao máximo juntar-se” e em que os estabelecimentos de restauração e bebidas ainda estão a funcionar de forma condicionada devido à pandemia de covid-19.

O serviço começa nos 150 euros e dura habitualmente entre uma hora e meia e duas horas, podendo ser estendido a pedido dos clientes e personalizado, caso se trate de uma festa temática. O menu base inclui aproximadamente 20 ‘cocktails’ para grupos até 10 pessoas.

Apesar da exclusividade, o empresário considera que se trata de um serviço “económico”, já que “sairia mais caro ao cliente ir comprar cada produto”.