Oito marroquinos que chegaram ao Algarve aguardam estatuto de asilo 

Oito marroquinos que chegaram ao Algarve aguardam estatuto de asilo 

Fonte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) disse ao JN que os pedidos de proteção internacional estão em fase de instrução, não lhes tendo sido atribuído, até à data, qualquer estatuto.

Fonte do Centro Português para os Refugiados (CPR), que tem acompanhado o grupo, diz que essa decisão pode demorar “vários meses” ou até um ano. Para já, a mesma fonte revela que os jovens estão a viver num hostel em Lisboa, pago pelo Centro para os Refugiados e que a adaptação tem corrido bem”.

O grupo vai começar a aprender português, apesar de o menor ainda não estar na escola. O empresário de Baião que manifestou disponibilidade para dar emprego aos jovens marroquinos continua com as vagas em aberto.