Oito pessoas acusadas de homicídio pela derrocada na pedreira de Borba

Oito pessoas acusadas de homicídio pela derrocada na pedreira de Borba

O Ministério Público deduziu acusação contra oito arguidos, um deles uma pessoa coletiva, no caso da derrocada da estrada 255 em Borba (Évora), por “vários crimes de homicídio e de violação de regras de segurança”.

Em comunicado, publicado na sua página na Internet, o Ministério Público (MP) anunciou hoje que, “no âmbito do inquérito instaurado com vista a apurar as circunstâncias que rodearam o colapso” da Estrada Municipal 255, ocorrido em novembro de 2018, deduziu acusação “contra oito arguidos”, de entre os quais “uma pessoa coletiva”.

Estes crimes “foram imputados a decisores políticos locais, a responsáveis de serviços da administração direta do Estado”, ao “responsável técnico” e a “sociedade proprietária de pedreira”, revelou também o MP, sem identificar os arguidos.

Na tarde de 19 de novembro de 2018, um troço de cerca de 100 metros da EM 255, entre Borba e Vila Viçosa, no distrito de Évora, colapsou, devido ao deslizamento de um grande volume de rochas, blocos de mármore e terra para o interior de duas pedreiras, provocando cinco mortos.

O acidente causou a morte de dois operários de uma empresa de extração de mármore na pedreira que estava ativa e de outros três homens, ocupantes de duas viaturas automóveis que seguiam no troço da estrada que ruiu e que caíram para o plano de água da pedreira sem atividade.