Pingo Doce obriga mulher a despir roupa em público

Pingo Doce obriga mulher a despir roupa em público

 

Uma mulher apresentou queixa junto da PSP e da ASAE após ter sido revistada e obrigada a tirar o casaco e as sapatilhas por responsáveis da loja do Pingo Doce, em Leiria, segundo a CMTV.

O episódio aconteceu no dia 10 de fevereiro, perto do meio-dia, quando Alda Costa se preparava para sair da loja da Avenida Heróis de Angola, com as compras, quando o alarme da caixa disparou.

Depois disto, uma funcionária terá pedido à mulher para tirar o casaco e as sapatilhas. Alda alega que pediu para o fazer num sítio privado. No entanto, o seu pedido foi ignorado e viu-se obrigada a mostrar os pertences em frente aos clientes.

Contactada pelo Correio da Manhã, fonte oficial do Pingo Doce referiu, após análise da videovigilância, que Alda Costa se mostrou “muito exaltada” quando o alarme disparou e acrescentou ainda que não é política do Pingo Doce que os funcionários ou seguranças sejam responsáveis pelas revistas.