PJ deteve oito pessoas por corrupção com Uber e Cabify

PJ deteve oito pessoas por corrupção com Uber e Cabify

Quase 150 elementos da Polícia Judiciária (PJ) e do Ministério Público (MP)participaram esta manhã numa operação de combate à corrupção, que envolve escolas de condução, plataformas de transporte de passageiros em veículos descaracterizados e o próprio Instituto da Mobilidade e Transportes (IMT)

Segundo a PJ, foram realizadas “mais de 40 buscas, domiciliárias e não domiciliárias, na zona de Lisboa, Lourinhã, Loures, Pinhal Novo, Óbidos, Santarém, Torres Vedras, Amadora, Peniche, Sintra, Almada e Cascais” no âmbito da chamada Operação Caixa de Pandora.

“A rede criminosa agora desmantelada era composta por diversos responsáveis de Escolas de Condução e de Centros de Formação homologados pela Entidade Pública competente, dois médicos, um advogado, um funcionário de Organismo Público e angariadores, dedicando-se a promover a obtenção fraudulenta, através de formações fictícias, de certificados de aptidão para motoristas (CAM), certificados de motoristas de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados (CMTVDE) e de transporte coletivo de crianças (TCC), de atestados médicos falsos e de avaliações psicológicas e certificados psicotécnicos forjados, visando a revalidação de licença de condução”, especifica a Polícia Judiciária.

Célia Reis