Prisão domiciliária para um dos dois homens indiciados por mais de 80 furtos a veículos

Carro conduzir

Prisão domiciliária para um dos dois homens indiciados por mais de 80 furtos a veículos

O Tribunal de Loulé decretou prisão domiciliária a um dos dois homens suspeitos de praticarem mais de 80 furtos de componentes de veículos no Algarve e em Lisboa, e o outro a apresentações trissemanais às autoridades, foi hoje anunciado.

Os homens, de 24 e 32 anos, foram detidos pela Guarda Nacional Republicana (GNR) na segunda-feira, em Albufeira, “no âmbito de uma investigação, iniciada há um ano e meio, relacionada com o furto de componentes de veículos automóveis”, anunciou hoje a GNR em comunicado.

De acordo com a GNR, o Tribunal de Loulé decretou a prisão domiciliária ao arguido de 32 anos, bem como a proibição de contactar com os outros arguidos.

Ao homem de 24 anos foi aplicada a obrigatoriedade de se apresentar três vezes por semana às autoridades policiais, entrega de passaporte e a proibição de contactar com os outros arguidos e de se ausentar do concelho de Albufeira.

De acordo com a GNR, entre o material apreendido durante as buscas estão “duas viaturas, um motociclo, oito aparelhos de localização GPS, três computadores e um ‘tablet’, três telemóveis, uma chave específica para desmontagem das óticas”, quantificou a força de segurança.

“Os detidos estão indiciados em mais de 80 furtos de componentes de veículos automóveis de gama alta ocorridos no concelho de Albufeira, Lagoa, Silves, Portimão, Loulé, Faro e, mais recentemente, também na área metropolitana de Lisboa”, realçou a GNR.

A mesma fonte esclareceu que os elementos deste grupo “arrombavam viaturas de gama media/alta e retiravam-lhes volantes, consolas e centralinas com forte procura no mercado paralelo”.

“Mais recentemente, a investigação constatou que os suspeitos se vinham dedicando exclusivamente ao furto de óticas de viaturas de marcas ‘premium’, cujos valores ascendem às várias centenas de euros por par, utilizando um ‘modus operandi’ que consistia na monitorização dos veículos que pretendiam furtar através da aposição ‘GPS tracking system’, sabendo permanentemente a sua localização e escolhendo o melhor momento para consumar os crimes”, sublinhou a GNR.

No início de julho, e também no decurso da investigação, foi possível apreender, “em coordenação com o Destacamento de Ação Fiscal (DAF) de Évora, junto à fronteira [luso-espanhola] do Caia-Elvas, 12 óticas, furtadas pelos suspeitos, que através de uma transportadora pretendiam fazer sair do país”, revelou o Comando de Faro da GNR.